Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carola Ponto e Vírgula

Carola Ponto e Vírgula

autores-billboard

         Continuamos a jornada na vida aqui do autor deste blogue. Já vos tinha dito que a certa altura a minha mãe decidiu deixar-me a cargo da mãe dela (já que com ela tinha dado resultado, porque não?!).

         Mas houve uma época, não sei se com saudades ou com o bichinho da maternidade aos pulos, ela tentou uma reaproximação. Teria eu seis ou sete anos.

         A minha mãe, nesses anos também ela uma jovem e foi provavelmente por isso que achou que a melhor solução de reatamento sentimental com o seu filho seria… uma noitada juntos.

Mãe há só uma.jpg

 

 

20180212_125853.jpg

 

 

         Com um autor chamado Pippo Russo chegamos logo à conclusão de que se trata de um livro sobre… Futebol russo! Não?! É tão óbvio que nem sei em que é que vocês poderiam estar a pensar quando o autor começa com Pi… AHHH... (como o Tonecas) já percebi! Eu em modo Tonecas e vocês em modo Fernando Rocha!

         Mas realmente “A Orgia do Poder” trata de futebol russo, mas pouco. Maioritariamente fala-se de futebol, não o desporto-rei que move nações, mas de futebol, o negócio que movimenta milhões.

         E um dos maiores mestres, se não mesmo o maior, deste negócio é Jorge Mendes, o superagente. Este livro segue os caminhos ao longo da carreira do empresário de jogadores de futebol e a sua ascensão ao topo do futebol mundial. Atenção, não é uma biografia, muito longe disso…

         Aquilo que mais gostei na obra deste professor de Sociologia, mas que enquanto jornalista se tem especializado na economia paralela do futebol mundial, foi a apresentação dos números reais e a leitura profunda de quem realmente lucra mais com as transferências. Pensamos todos que os clubes associados ao superagente lucram muito. Sim movimentam muito dinheiro e na imprensa aparecem uns números bonitos que alimentam o ego dos grandes clubes vendedores, mas Pippo Russo vai ao fundo da questão seguindo o rasto do dinheiro.

         Também segue os clubes onde o empresário português exerce maior influência seja nível nacional, onde se destacam os três grandes, Sporting de Braga e Rio Ave, como também a nível mundial onde Manchester United, Chelsea, Mónaco, PSG, Real Madrid, Barcelona são os seus maiores clientes.

         Com as informações dadas pelo autor começamos a perceber algumas transferências bem estranhas, até como autênticos flops saltam de um clube para outro e ainda conseguem gerar lucros para quem se acaba de desfazer de um problema.

         Isto foi o que gostei.

         O que não gostei foi a forma como menospreza o valor dos grandes jogadores (o mais óbvio de todos, CR7).

         Sobre os jogadores maus/medianos arrasa, e bem, quer os valores pagos quer a sua falta de qualidade.

         Também não vê, ou não quer ver, que atualmente o potencial paga-se tanto ou mais que o valor real do jogador. Quanto dessa especulação do potencial é culpa de Jorge Mendes?! Não sei, mas é assim que o mercado está e o superagente não é o único a beneficiar disso.

         Resumindo é um bom livro documental que explora a fundo os números e as movimentações no mercado futebolístico e abre os olhos até àqueles que se dizem mais atentos a este fenómeno no futebol.

Dia da mulher.jpg

 

Mulheres, muitos parabéns, hoje é o vosso dia!

Então e os outros dias são de quem?! Dos homens?! Machista…

 

Alegrem-se mulheres, hoje é dia de festejar!

E nos restantes dias só quem tem autorização de festejar são os homens?! Mandas em quem?! Era tudo à vontade dos homens não?! Machista…

 

Mulheres vocês são grandes!

Olha esta besta a chamar-me gorda! Diz o roto ao nu… machista!

 

Mulheres vocês são a coisa mais importante na vida dos homens!

Pois porque senão quem é que faz o comer, lava a loiça, a roupa, arruma a casa, toma conta dos miúdos?! Interesseiro e… machista!

 

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Internacional?! Isso quer dizer que vais ter com alguma estrangeira?! Tarado e… machista!

 

Mulheres orgulhem-se pelas barreiras que quebraram até ao dia de hoje! E ainda vão quebrar muitas mais!

Outra vez a chamar-nos gordas?! Olha o sofá mandou lá ires passar a noite! Estúpido e… machista!

 

Mulheres vocês são um orgulho para a Humanidade!

E por Humanidade entenda-se o quê?! Só homens?! Machista!

 

Mulheres, porra, aceitem os nossos elogios!

Homem, falamos no dia do animal… Porco e… machista!

De: Mim

Para: Rúben Semedo

Data: Num destes dias após a tua detenção

 

Olá Rúben, meu querido amigo. Se eu fosse realmente teu amigo começaria assim…

Estaria aqui feliz por ti, pela tua transferência para Espanha, e por finalmente, e para regalo deste benfiquista que te escreve, teres deixado o Sporting. Sim o meu presidente (o da República) deixa que fale à vontade. Fico feliz porque és um bom jogador, pena foi que a partir do momento em que te assumiste benfiquista, os teus erros, que anteriormente eram normais da inexperiência competitiva, agora seriam para beneficiar o teu clube do coração.

Por isso, ir para o Villarreal foi bom para ti e para os teus amigos, e era agora que eu também queria estar incluído nesse lote.

 

Rúben Semedo.jpg

 

 

 

         Vamos falar de injustiças?! Vamos. Está na altura de meter o dedo na ferida e, de uma vez por todas, por tudo em pratos limpos.

         Chegou o dia de falarmos da injustiça que têm feito com o meu pai. Sempre soube que o marketing conta muito, mas chega uma altura em que é preciso relatar a História da Humanidade baseada em factos datados e sem qualquer hipótese de refutação.

         O senhor Armindo Carola, meu pai (e isto é para ser lido com orgulho), foi um dos pioneiros do Coaching em Portugal e disto ninguém fala. Isto passou-se, nos já longínquos anos em que outra moda dos dias de hoje, o Running, ainda se chamava Jogging.

         O método de trabalho dele era baseado em psicologia inversa e talvez por isso nem sempre fosse bem compreendido. Era um visionário, também já conseguia trabalhar à distância, naqueles tempos em que a internet ainda dava os primeiros passos (com internet também eu chego a qualquer lado).

         Vejamos este caso genial:

         O meu irmão mais velho jogava à bola nas camadas jovens do clube cá da terra. O campo, nessa atura, ainda era no meio da vila. E o que fazia o meu velho nos dias de jogo do filho?! Ficava no café mais próximo. Lá está, coaching à distância! E foi lá no café, e no fim do jogo, que soube que o meu irmão fizera um hat-trick. Vêem?! Trabalho espectacular do Coach Carola.

 

.  

20180304_140757.jpg

 

 

Olá a todos. Hoje trago-vos aqui as minhas leituras para este mês de Março. Eu gosto de ler dois livros ao mesmo tempo, sendo que se um for romance o outro já tem de ser de outro estilo. Neste caso é um livro de auto-ajuda.

 

  

“Origem” de Dan Brown

 

 

SINOPSE:

 

Bilbau, Espanha.

Robert Langdon, professor de simbologia e iconologia religiosa da universidade de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbau para assistir a um grandioso anúncio: a revelação da descoberta que «mudará para sempre o rosto da ciência.» O anfitrião dessa noite é Edmond Kirsch, bilionário e futurista de quarenta e dois anos cujas espantosas invenções de alta tecnologia e audazes previsões fizeram dele uma figura de renome a nível global.

 

Kirsch, um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, duas décadas atrás, está prestes a revelar um incrível avanço científico… que irá responder a duas das perguntas mais fundamentais da existência humana. No início da noite, Langdon e várias centenas de outros convidados ficam fascinados com a apresentação tão original de Kirsch, e Langdon percebe que o anúncio do amigo será muito mais controverso do que ele imaginava. Mas aquela noite tão meticulosamente orquestrada não tardará a transformar-se num caos e a preciosa descoberta do futurista pode muito bem estar em vias de se perder para sempre.

 

Em pleno turbilhão de emoções e em perigo iminente, Langdon tenta desesperadamente fugir de Bilbau. Tem ao seu lado Ambra Vidal, a elegante diretora do Guggenheim que trabalhou com Kirsch na organização daquele provocador evento. Juntos, fogem para Barcelona, com a perigosa missão de localizarem a palavra-passe que os ajudará a desvendar o segredo de Kirsch.

 

Percorrendo os escuros corredores de história oculta e religião extremista, Langdon e Vidal têm de fugir de um inimigo atormentado que parece tudo saber e que parece até de alguma forma relacionado com o Palácio Real de Espanha… e que fará qualquer coisa para silenciar para sempre Edmond Kirsch.

 

Numa viagem marcada pela arte moderna e por símbolos enigmáticos, Langdon e Vidal vão descobrindo as pistas que acabarão por conduzi-los à chocante descoberta de Kirsch… e a uma verdade que até então nos tem escapado e que nos deixará sem fôlego.

 

 

 

Expectativa:

 

Deste autor li apenas “Inferno”, gostei bastante. Óbvio que já conhecia o autor e as adaptações para cinema das outra obras anteriores, “Código Da Vinci” e “Anjos e Demónios”. Desta nova história espero mais suspense, mais reviravoltas e símbolos para desvendar. Gosto muito deste estilo de romance e espero um tempo bem passado ao longo das mais de quinhentas páginas.

 

 

 

 

“Uma Mente Independente” de Osho

 

 

SINOPSE:

 

Osho dedicou a sua vida ao ensino e à prática da meditação, que ele não considerava um exercício espiritual, mas uma experiência científica: a meditação é a forma mais empírica e eficaz de conhecer o mecanismo da mente. E, conhecendo o funcionamento da mente, torna-se muito fácil identificar os mecanismos de ilusão e manipulação que nos rodeiam… Uma Mente Independente baseia-se em algumas das primeiras conferências feitas por Osho em retiros de meditação e é uma das suas obras mais provocantes e originais.

 

 

Expectativa:

 

A minha expectativa em relação a este tipo de livros é sempre aprender e apreender o modo de pensar destas pessoas. E se conseguir aplicar um conselho que seja, já é um livro que valeu a pena. Já li “A Magia da Autoestima” e é sempre bom ler maneiras de pensar diferentes da norma, e perceber que pequenos ajustes trazem grandes resultados e que as perguntas mais descabidas e “fora da caixa”, produzem respostas com grande valor e fáceis de aplicar.

 

 

 

E vocês já leram? Gostaram? Gostam dos autores? Comentem, é sempre bom saber as vossas opiniões! Beijinhos e abraços.

 

20180217_112108.jpg

 

         Hoje falamos sobre “Reaccionário com Dois Cês. Rabugices sobre os novos puritanos e outros agelastas” de Ricardo Araújo Pereira ou abreviando RAP. Certamente não será coincidência que o RAP (estilo musical) tenha também como base a boa utilização das palavras. É isso que partilham, tanto as palavras com os beats que ouvimos no RAP como os textos do extraordinário RAP, “O” humorista, cronista e, na sua opinião e como melhor qualidade, benfiquista.

         O Champion marcou uma geração, juntamente com Miguel Góis, Tiago Dores e Zé Diogo Quintela nos Gato Fedorento. Quantos sketches imitei e sei de cor?! Demasiados. Tiraria melhor proveito, com certeza, se de Ricardo Araújo Pereira tivesse imitado (como se fosse possível) a sua inteligência e a sagacidade da sua escrita humorística, tão bem expressa nesta colecção de crónicas.

        

 

 

 

Pág. 2/2