Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Carola Ponto e Vírgula

Carola Ponto e Vírgula

autores-billboard

1.jpg

 

 

Olá pessoal. Depois do Top de desilusões, chegámos ao Top que mais interessa: Os melhores do Ano. Felizmente 2019 foi um ano espectacular em termos de leituras e ao contrário do Top anterior, neste tive tanta dificuldade em decidir que além de ser um Top dos dez melhores, ainda vai ser dividido em duas partes, para podermos dar o devido destaque a todos. Óbvio que muitos livros ficaram de fora e até mesmo a ordem desta lista pode ser “injusta”. Mas vamos lá aos melhores do ano, parte 1:

 

 

 

10º Lugar

 

“Os Bebés de Auschwitz” de Wendy Holden

 

A história de 3 mulheres que sobreviveram aos campos de concentração. Como se isso não fosse já heróico o suficiente, ainda o fizeram, primeiro grávidas e depois já com as crianças naquele ambiente horroroso. São três histórias duras, como não poderiam deixar de ser, e que mais uma vez (e sempre que o tema é Auschwitz) me marcaram muito.

 

 

9º Lugar

 

“Demência” de Célia Correia Loureiro

 

Além da inveja enorme (mas saudável) que eu tenho por ver alguém tão jovem escrever tão bem, ainda posso dizer que este livro me fez conhecer realmente o que é a demência em todos os seus aspectos e como afecta, não só o doente, mas todas as pessoas à sua volta. Uma história enorme só ao alcance de alguém muito telentoso!

 

 

8º Lugar

 

“O Ódio que Semeias” de Angie Thomas

 

É um dos livros que mais se fala actualmente sempre que o tema é racismo. Sendo uma história ideal para um público mais jovem (e que deveria de ser de leitura obrigatória nas salas de aulas), teve em mim muito impacto e não deixo de o aconselhar a todos quantos queiram perceber o que é (e que já não devia ser há muito) o racismo no dia-a-dia das vítimas em pleno século XXI.

 

 

7º Lugar

 

“O Meu Irmão” de Afonso Reis Cabral

 

Mais outro talento nacional enorme. Gosto muito da escrita deste rapaz e nesta história temos um homem de 40 anos com Síndrome de Down que fica à guarda do seu irmão. Além de ficarmos a conhecer as limitações do que é viver com este síndrome, ficamos também a saber que o ciúme, a inveja e a estupidez não têm limites. Duro, muito duro, certamente para alguns será de levar às lágrimas.

 

 

6º Lugar

 

“A Paciente Silenciosa” de Alex Michaelides

 

Um livro em que a personagem principal se recusa a abrir a boca e a dizer o porquê de ter morto o marido. Só por aí já me tinha deixado curioso que chegue. Depois, ver todo o desenrolar da trama e no fim ainda ser surpreendido da maneira como fui… são 5 estrelas, recomendações a todos os viciados em leitura e não se fala mais nisso!

 

 

Pronto, assim chegámos ao final da primeira parte deste belo Top, amanhã voltamos com os cinco melhores. Espero que tenham gostado e que voltem para ver o resto, prometo que vai valer a pena. Até amanhã e boas leituras!