Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Carola Ponto e Vírgula

Carola Ponto e Vírgula

20180325_145253.jpg

 

 

         A opinião de hoje será feita sobre um livro que a maioria das pessoas desconhece, mas chega por uma razão: o seu autor, Sérgio Faria, é meu amigo e aquando do lançamento deste livro, convidou-me para a apresentação. Fui lá dar-lhe o meu apoio, comprei o livro e disse-lhe:

         — Fica descansado, quando acabar de ler, dou-te a minha opinião!

         Li o livro no dia seguinte, duma assentada e aqui está a minha opinião. O único problema é que a apresentação foi em Dezembro de 2015. Eu sei, eu sei, estou ligeiramente atrasado, mas eu prometo compensar com uma análise aprimorada.

 

         No entanto, antes gostava de vos falar do autor. Nós fomos colegas desde o 8ºAno (acho eu) até ao 12ºAno e deixem que vos diga, se há rapaz que sofreu Bullying na escola foi ele. Mas ele foi sobrevivendo e seguindo o seu caminho. Na escola era um “crânio” em matemática e vê-lo publicar um livro foi uma enorme surpresa e um grande sinal de força para todos, tanto os que foram vitimas de Bullying, como para os que gozaram com ele. Antes deste livro já tinha dados os primeiros passos na escrita quando criou o seu blogue (http://solidaobyme.blogspot.pt).

         Mas agora vamos ao que realmente interessa, a minha opinião sobre “A Pureza de um Verdadeiro Amor”. É óbvio que a esta distância os nomes dos personagens já eram, mas o mais importante, a história, essa não esqueci.

         Começamos com André (ok, admito tive que ir à procura no livro) que depois de desempregado tem a ideia de ir à procura da felicidade num chat na internet, e é lá que encontra Tiago. A forma como o enredo progride é como o próprio título deixa antever, pura, e se tivermos em conta o mundo actual, demasiado positiva. Este optimismo “excessivo”, se assim se pode dizer, não pode ser considerado culpa do autor, mas sim da sociedade que não consegue aceitar algo tão simples como amor sem género, “só” puro.

         Faço uma comparação com “Moonlight”, o vencedor do óscar para melhor filme em 2017: Eu sei que estes filmes e livros onde se aborda a homossexualidade é o tema principal, tem que ser feitos e trazidos para a discussão pública e principalmente para educar as gerações futuras. Na minha visão das coisas, seja no filme ou no livro, estamos “simplesmente” a falar de histórias de amor.

 

Moonlight.jpg

 

 

 

 

         Isto é uma crítica?! Ao filme sim, porque além da importância do tema, não lhe vi qualidade para ganhar o óscar. Percebo que ganhando, tenha mais impacto e, isso sim, é positivo.

         Voltando o livro, achei uma história demasiado cor-de-rosa, teve apenas um twist que já não estava à espera, mas tirando isso, foi bastante linear. Confesso, não sou grande admirador desse tipo de romance “lamechas”, prefiro algo com mais variantes e suspense.

         Quer dizer que a obra é má?! Longe disso. A história é boa, talvez um pouco curta, com uma escrita simples e, lá está, pura.

         Espero que este tenha sido o primeiro de muitos e que daqui em diante seja sempre a subir e a melhorar. Publicidade em 3,2,1:

         https://www.wook.pt/livro/a-pureza-de-um-verdadeiro-amor-sergio-faria/18500816

         Ah e não sei se já disse: ele é meu amigo.