Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Carola Ponto e Vírgula

Carola Ponto e Vírgula

inglês.png

 

Olá a todos, hoje A Vida Dum Carola vai pela primeira vez internacionalizar-se, por isso qualquer má tradução, construção das frases, não me culpem, graças ao Google Translator eu posso ficar em modo Jorge Jesus UK.

Eu posso dizer que domino a língua inglesa (e não duma inglesa, calma aí seus tarados) com relativo à vontade. Por relativo à vontade, entenda-se: ver filmes sem precisar de legendas. Mas nem sempre foi assim, aliás melhorei bastante foi depois de sair da escola.

E foi mesmo na escola que se passou esta peripécia (mais uma). Por efeitos de fraca memória, não me lembro se isto foi no sétimo ou no oitavo ano. Isto passou-se, como sempre, literalmente assim:

— Hello my little losers. Today you're going to introduce yourselves to your classmates... In English of course! (Olá, meus pequenos falhados. Hoje vocês vão-se apresentar para os vossos colegas de turma… Em inglês claro!).

Deus me valha, aquela sala parecia os adeptos de futebol a reclamar.

—Fogo, oh stora em inglês não…

— I can’t understand you… (Não vos consigo entender…)

— Oh stora, tem as calças sujas de giz no cú… — disse um colega meu, bem atencioso, o que resultou numa gargalhada colectiva do resto da turma.

— Olha vai já para a rua! — disse a professora furiosa e vermelha como um tomate.

 

O rapaz incrédulo responde:

— Então, mas percebe ou não percebe?

— E ainda vou dizer à tua directora de turma…

Outra gargalhada uníssona pela sala toda.

— Mas a minha directora de turma é você!

— Rua, já disse! — disse ela sem dar o braço a torcer

E pronto foi menos um a ter que fazer a apresentação. Ideia genial, devia tê-la aplicado também. E corria tudo muito bem, todos a apresentarem-se com mais ou menos dificuldade, dizendo o nome, a idade, os pais, quantos irmãos e por aí fora. Mas notava-se na cara da mulher que ela ainda estava a ferver do incidente anterior e tinha que se vingar em alguém. Ora pois então, olhou para mim e perguntou:

— And you,what’s your name? (E tu, como te chamas?)

— Nuno. —disse eu.

— What’s missing there, Nuno? (O que é que está aí a faltar, Nuno?)

— Clearly, good taste for names by my parents! (Claramente, bom gosto para nomes pelos meus pais!)

— No, that’s not the question! — disse ela já novamente furiosa (eu percebo-a, isto não é nome que se dê a ninguém). — My name is Nuno… (Não, não é essa a pergunta? — O meu nome é Nuno…)

— Yours too?! — disse eu interrompendo-a. — But you’re a girl! (os pais dela ainda são mais estranhos que os meus…). (O seu também?! — Mas você é uma rapariga!)

— Ok, let’s move on. Let’s talk about your family, do you have brothers and sisters? (Ok, vamos continuar. Vamos falar sobre a tua família, tens irmãos ou irmãs?)

— Yes, i have one older brother and three younger sisters! (Sim, tenho um irmão mais velho e três irmãs mais novas!)

— Amazing, your parents must be very happy. (Maravilhoso, os teus pais devem estar muito felizes.)

— Yes. After i was born, they divorced and then my mother had my three sisters and my father is living with another woman... (Sim. Depois de eu nascer, eles divorciaram-se e foi então que a minha mãe teve as minhas três irmãs e o meu pai vive com outra mulher…)

Vendo-me atrapalhado com o que ia dizer a seguir, ela sorri (com aqueles sorrisos malévolos, como um tubarão quando vê sangue) e diz:

— Keep going… (continua…)

— Now it’s too complicated for me to explain! Can i explain in portuguese? (Agora é demasiado complicado para eu explicar! Posso explicar em português?)

— No. — Diz ela, com o sorriso bem rasgado de vitória e por finalmente ir humilhar alguém a seguir a ela. (Não.).

Como isto já se passou e não quero ter que vos explicar como expliquei a ela, vamos por isto em pratos limpos: ora então como já disse, num belo inglês, eu tenho um irmão mais velho e três irmãs mais novas (as meninas só são minhas irmãs do lado da minha mãe). Depois o meu pai juntou-se com outra senhora, a minha madrasta (foi ela que insistiu para a chamar assim). Por sua vez a minha madrasta tinha outras 4 filhas, o que as tornava irmãs “emprestadas” (entretanto já accionámos há muito tempo as opções de compra — piada futebolística). Para vossa informação o meu pai e a minha madrasta ainda tiveram mais um miúdo, mas que nesta altura ainda não era nascido. Confuso, não é?! Agora imaginem explicar isto em inglês, sem saber como se dizia madrasta e irmãs “emprestadas”:

— So, the woman that is living with my father, has four daughters… (Então, a mulher que está a viver com o meu pai, tem quatro filhas…)

Agora era a vez da professora me interromper:

— And that’s makes them your step sisters, Nuno! (E isso faz delas tuas irmãs “emprestadas” — como é óbvio eu iria traduzir mal —, Nuno!)

— No! — disse eu furioso. — Just because i kicked two of them in a fight at home, that doesn´t make them my step (de pisar) sisters! What if i had slapped them, that would made them my slap sisters?! (Não! — Lá porque eu mandei uns pontapés a duas delas numa briga lá em casa, isso não faz delas minhas irmãs “de pisar”! Então se eu lhes tivesse dado uma chapada, faria delas minhas irmãs “Bofetadas”?!)

Missão cumprida: agora a sala toda se ria à minha conta e não à conta do cú da stora cheio de giz!

 

Desafio 1000 palavras por dia

Contagem: 924

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.