Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carola Ponto e Vírgula

Carola Ponto e Vírgula

inglês.png

 

Olá a todos, hoje A Vida Dum Carola vai pela primeira vez internacionalizar-se, por isso qualquer má tradução, construção das frases, não me culpem, graças ao Google Translator eu posso ficar em modo Jorge Jesus UK.

Eu posso dizer que domino a língua inglesa (e não duma inglesa, calma aí seus tarados) com relativo à vontade. Por relativo à vontade, entenda-se: ver filmes sem precisar de legendas. Mas nem sempre foi assim, aliás melhorei bastante foi depois de sair da escola.

E foi mesmo na escola que se passou esta peripécia (mais uma). Por efeitos de fraca memória, não me lembro se isto foi no sétimo ou no oitavo ano. Isto passou-se, como sempre, literalmente assim:

— Hello my little losers. Today you're going to introduce yourselves to your classmates... In English of course! (Olá, meus pequenos falhados. Hoje vocês vão-se apresentar para os vossos colegas de turma… Em inglês claro!).

Deus me valha, aquela sala parecia os adeptos de futebol a reclamar.

—Fogo, oh stora em inglês não…

— I can’t understand you… (Não vos consigo entender…)

— Oh stora, tem as calças sujas de giz no cú… — disse um colega meu, bem atencioso, o que resultou numa gargalhada colectiva do resto da turma.

— Olha vai já para a rua! — disse a professora furiosa e vermelha como um tomate.

 

 

escumalha.png

 

 

Estava mais que na altura de admitir isto: sim, eu sou Escumalha.

Durante muito tempo nem sabia que era ou o que isso significava realmente, mas a partir do momento em que me foi dado a conhecer essa realidade, percebi que embora não fosse perceptível à primeira vista, eu era Escumalha.

 

 

         O assunto de hoje é algo que, até para mim, é por vezes difícil de explicar. Há quem lhe chame “saudades”. Não sei será bem essa a definição, mas se calhar é provável que seja… vamos admitir que são saudades.

 

Saudade.jpg

 

         Primeiro é quase impossível dizer quando, nem como é que começou, parece que foi algo que esteve sempre lá desde sempre.

         Lembro-me de estarmos ali, várias vezes, à frente do mundo: dois jovens juntos, de mãos dadas, aprendendo passo a passo como melhorar e seguir em frente. Contando sempre com os ensinamentos e apoio daqueles que, mais experientes que nós, se enchiam de orgulho e nos viam cada vez mais confiantes, lado a lado.