Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carola Ponto e Vírgula

Carola Ponto e Vírgula

IMG_20190316_111928.jpg

 

 

Olá a todos, bom fim-de-semana. Hoje é dia de falar do livro que escolhi para o The Bibliophile Club. Para o tema de Maio temos autores portugueses, um tema que sendo tão abrangente, nos deixa com um leque de escolhas enorme e isso é bom. Podemos ver que quase ninguém repete a mesma escolha e assim temos muitas opiniões novas.

Eu escolhi então “A Última Ceia” de Nuno Nepomuceno, edição da Cultura Editora. Primeiro que tudo, bela capa, depois e apesar de uma recordação vaga do último livro que li do autor, estava curioso por esta nova história até porque me lembrava de ter gostado muito de ler “O Espião Português”.

Nesta história temos um ladrão de arte, arrogante ao ponto de no seu último assalto deixar uma nota onde diz que irá repetir o feito no ano seguinte. Sem saber nada disto, Sofia, apaixona-se por este irresistível milionário e com o avançar da relação, futuro marido. É aqui que entra Afonso, antigo professor de Sofia e quem lhe conta toda as suspeitas em torno do seu futuro marido, Giancarlo. É aqui nesta altura que toda a história ganha forma, Sofia vê-se entre a espada e a parede, tendo que decidir se ajuda a investigação a alcançar as provas que incriminam o seu amor ou se segue esse amor tornando-se cúmplice das acções que ele tomar! Quase me esquecia, isto com cenários de fundo, como Lisboa, Milão e Londres. Tinha tudo para correr bem…

 

“Benedetta foi invadida pela estranheza assim que chegou ao interior do santuário. Uma cena que não conseguiu compreender imediatamente estava pintada perante os seus olhos.

Encontrou Jacopo sentado num dos bancos, de lado para o altar. Tinha as mãos atadas, o rosto ligeiramente ferido, o bigode ranhoso e os olhos a transbordar de infelicidade.

Bem à frente do homem, na grande parede lateral, via-se uma moldura vazia.

A mulher sentiu-se desfalecer ao compreender finalmente o que acontecera.

Il Cenacolo! — gritou ela, horrorizada.

Um crime hediondo acabara de ser cometido. A beleza fora corrompida.

Alguém roubara A Última Ceia.”

 

 

 

 

LeiturasMaio.jpg

 

 

 Olá a todos, eu sei que o mês já vai a quase a meio, mas aqui estão as minhas leituras de Maio. Temos um dos autores que mais sigo e o responsável pelo despertar do meu gosto pela leitura e depois temos um livro para aprofundar aquilo que já tinha aprendido no livro de Tony Robbins.

 

 

"Vaticanum" de José Rodrigues dos Santos 

 

 

SINOPSE:

 

Um comando do estado islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o Papa desaparece. Horas depois surge na internet um vídeo em que os terroristas mostram o Sumo Pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante: O PAPA SERÁ DECAPITADO EM DIRECTO À MEIA-NOITE. O relógio começa a contar. O rapto do Papa desencadeia o caos. Milhões de pessoas saem à ruas, os atentados sucedem-se, mutiplicam-se os confrontos entre cristãos e muçulmanos, vários países preparam-se para a guerra. 

Apanhado no epicentro da crise quando trabalha nas catacumbas da Basílica de São Pedro, Tomás Noronha vê-se envolvido na investigação para descobrir o paradeiro do Papa e cruza-se com um nome enigmático: OMISSIS. A pista irá conduzi-lo ao segredo mais sombrio da Santa Fé.

Usando informação genuína para nos revelar o que se esconde nos bastidores do Vaticano, o escritor preferido dos portugueses está de regresso com o thriller do ano. Com Vaticanum José Rodrigues dos Santos mostra mais uma vez por que razão é considerado mestre do mistério real.

 

 

 

 

EXPECTATIVA:

 

Sempre que leio José Rodrigues dos Santos é como que um regresso ao passado e ao primeiro momento em que peguei no primeiro livro que li dele "A Mão do Diabo" e pensei: o que será que vem aí? Se no primeiro de todos não fazia ideia, agora a questão levanta-se na mesma mas com a ideia de qual será a forma como este romance me irá surpreender, informar e prender desta vez. Para mim será sempre sinónimo de um tempo muito bem passado.

 

 

 

 

"Como Fazer Crescer O Seu Dinheiro Ao Longo Da Vida" de Pedro Barata

 

 

SINOPSE:

 

Poupar para a reforma é obrigatório, especialmente quando não se quer perder qualidade de vida. Não precisa de muito dinheiro, mas precisa de saber como o multiplicar a caminho de uma reforma tranquila e desafogada.

Neste guia vai encontrar todas as dicas que não dependem do perfil de risco, mas apenas da idade que tem.

Pedro Barataperito em mercados financeiros e gestor de fundos de investimento, com mais de duas décadas de experiência, ensina-lhe tudo o que precisa de saber sem sacrifícios ou angústias.

Quanto precisa de poupar?
Em que investir?

Como?

Durante quanto tempo?

Quando começar?

É um dos assuntos que mais preocupam os portugueses: as reformas pagas pelo Estado têm vindo a diminuir e ninguém sabe como serão sustentadas dentro de 10 anos, muito menos daqui a 20 ou 30. Nem de quanto serão.

Só há uma entidade capaz de lhe garantir uma reforma minimamente equivalente ao seu actual ordenado, de modo a poder manter o seu nível de vida. Essa entidade é você mesmo.

«Planear financeiramente a reforma quando ainda é jovem é uma ajuda preciosa para conseguir não baixar o nível de vida quando se reformar [...] Se tiver tempo suficiente para capitalizar os rendimentos das suas aplicações eles vão-se multiplicando de tal forma que o resultado final é muitas vezes surpreendente.»

«Não necessita de ser um génio da finança nem um sobredotado [...] uma estratégia simples, mas bem implementada, é suficiente para conseguir fazer muito pela sua poupança.»

 

EXPECTATIVA:

 

Quando li o livro de Tony Robbins e na análise que lhe fiz, disse que precisava de um livro que me ensinasse como funcionam as coisas no nosso sistema financeiro. Este foi o livro que escolhi e é essa exactamente a expectativa que tenho sobre ele, embora espere alguma repetição de temas.